CC aceita candidaturas de Chapo, Ossufo, Lutero e Venâncio às presidenciais - Agencia Moznews
GLOBAL NEWS

CC aceita candidaturas de Chapo, Ossufo, Lutero e Venâncio às presidenciais



O Conselho Constitucional (CC) aprovou as candidaturas de Daniel Chapo (Frelimo), Ossufo Momade (Renamo), Lutero Simango (MDM) e Venâncio Mondlane (CAD) para a presidência da República. Esses quatro candidatos disputarão a presidência em 45 dias de campanha eleitoral, culminando na votação em 9 de outubro.



Segundo o documento, “as candidaturas de Daniel Francisco Chapo, Lutero Chimbirombiro Simango, Ossufo Momade e Venâncio António Bila Mondlane atendem tanto aos requisitos formais quanto substanciais exigidos pela constituição e demais leis”.

Por outro lado, o CC rejeitou as candidaturas de Domingos Jossias Zucula, Dorinda Catarina Eduardo, Feliciano Maguiuanhane Machava, Manuel Carlos Pinto Júnior, Mário Albino, Miguel Rafael Mabote e Rafael Fernando Bata, pois não cumpriam os requisitos necessários.

Daniel Chapo
Nascido em Inhaminga, província de Sofala, Daniel Chapo é formado em Direito pela Universidade Eduardo Mondlane (2000), possui um curso de Conservador e Notariado (2004) e um Mestrado em Gestão de Desenvolvimento pela Universidade Católica de Moçambique (2014). Já foi professor de Direito Constitucional e Ciências Políticas (2009), locutor na Rádio Miramar em Beira, Conservador em Nacala-Porto (2005), Administrador do distrito de Palma, em Cabo Delgado (2015), e Governador da Província de Inhambane (2016).



Ossufo Momade
Ossufo Momade, originalmente combatente da Frelimo, tornou-se presidente da Renamo em 2019 após a morte de Afonso Dhlakama. Estudou Direito no Instituto Superior Monitor em Maputo e iniciou sua trajetória política em Nampula em 1974. Foi deputado da Assembleia da República (1999) e Secretário-Geral da Renamo (2007-2013). Sua eleição como presidente da Renamo foi marcada por debates sobre sua capacidade política para suceder Dhlakama.



Lutero Simango
Lutero Simango, filho de Urias Simango (fundador da Frelimo), lidera o MDM desde a morte de seu irmão, Daviz Simango. Com 87,9% dos votos no congresso do partido na Beira, tornou-se presidente do terceiro maior partido de Moçambique. Como chefe da bancada do MDM na Assembleia da República, derrotou o deputado Silvério Ronguane, que obteve 9,9% dos votos.



Venâncio Mondlane
Nascido em Lichinga, província do Niassa, Venâncio Mondlane iniciou sua carreira política em 2013 no MDM, candidatando-se à Presidência do Conselho Municipal de Maputo nas eleições autárquicas de 2013. Foi chefe da bancada do MDM na Assembleia Municipal de Maputo (2014-2015) e deputado na Assembleia da República (2015). Em 2019, após mudar-se para a Renamo a convite de Afonso Dhlakama, tornou-se assessor do presidente da Renamo e, em 2020, foi eleito deputado pela Renamo, assumindo funções de relator da bancada na IX Legislatura.

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button